Quinta, 05 de agosto de 2021
Porto do Itaqui cresce 25,4% no 1º trimestre

Foram movimentadas 5,9 milhões de toneladas de cargas nos três primeiros meses do ano, com destaque para combustíveis, soja, milho e fertilizantes

Após um ano do início da pandemia a EMAP, responsável pela gestão do Porto do Itaqui, vem assegurando a continuidade das operações portuárias e reduzindo os impactos negativos da COVID-19 na economia local e regional. O cuidado com as pessoas e o foco em resultados contribuíram para o Itaqui fechar o primeiro trimestre do ano com um volume de cargas 25,4% maior do que o registrado nos três primeiros meses de 2020 e aproximadamente 17% acima do planejado para o período. Do total de 5,9 milhões de toneladas movimentadas, 2,1 milhões foram em granéis líquidos, carga que cresceu 56% no comparativo com o mesmo período do ano passado. A soja vem em seguida, com quase 2 milhões de toneladas exportadas e alta de 24%.

A maior alta registrada no acumulado do ano foi do milho, com volume 136% superior à marca de 2020. Seguem em crescimento também os volumes de fertilizantes (14% +), celulose (28% +), manganês (46%+) e carga em contêiner (10% +). Todos comparados ao ano de 2020.

“O ano começou com boas perspectivas para o Porto do Itaqui. Além da manutenção do crescimento no Agronegócio, com destaque para grãos e fertilizantes, e cargas de valor agregado, como a celulose, os combustíveis, com destaque para o entreposto, voltaram a crescer, o que é um forte indicativo de retorno da atividade econômica. Também observamos crescimento na movimentação de contêineres, que, desde o ano passado, tem tido papel essencial no abastecimento do Maranhão e de toda a nossa área de influência com alimentos, equipamentos, produtos hospitalares e materiais de construção, todos essenciais no combate à pandemia”, afirmou Ted Lago, presidente do Porto do Itaqui.

O porto público do Maranhão tem vocação para movimentar graneis sólidos e líquidos. A produção de grãos (exportação de soja e milho) e a movimentação de combustíveis (importação de diesel e gasolina) são responsáveis pela maior parte do volume de cargas em operação no Itaqui.

Com a inauguração do Novo Tegram no ano passado, a capacidade de movimentação de grãos subiu para os 20 milhões de toneladas/ano (incluindo as operações da VLI). A entrada em operação de novos terminais de granéis líquidos e a mudança na estratégia de entreposto pela Petrobrás, puxaram a movimentação de granéis líquidos.
A previsão é fechar o ano com recorde na movimentação anual, ultrapassando as 26 milhões de toneladas em 2021.

A movimentação de granéis líquidos deve crescer ainda mais com a expansão da infraestrutura para esse tipo de operação. Estão em fase de conclusão as obras do Tequimar-Ultracargo e a ANTAQ – Agência Nacional de Transportes Aquaviários acaba de realizar leilão para arrendamento de quatro áreas destinadas à movimentação, armazenagem e distribuição de combustíveis no Porto do Itaqui, totalizando mais de R$ 800 milhões entre investimentos e outorgas. Com isso o Itaqui consolida-se na liderança como maior movimentador de combustíveis do corredor Centro-Norte.


https://www.revistaintermarket.com.br/porto-do-itaqui-cresce-254-no-1o-trimestre/
Opinião dos leitores

Deixe aqui uma resposta