Quarta, 22 de setembro de 2021
Petrobras investe 24 milhões de reais no Porto de Imbetiba

Uma das instalações portuárias próprias da companhia comemora aniversário de Macaé com investimentos e retomada nas operações

Investimentos da ordem de 24 milhões de reais para o biênio 2021 e 2022. Esse é o valor que a Petrobras está destinando à modernização e à atualização da infraestrutura do Porto de Imbetiba – Engenheiro Zephyrino Lavenère Machado Filho, em Macaé. A empresa comemora o aniversário de Macaé, além dos investimentos, com a expectativa de retomada do fluxo nas operações pós-pandemia.

Essa injeção de recursos visa incrementar o atendimento logístico portuário para dar suporte à rotina e aos projetos de ancoragem de plataformas da companhia. Paralelamente, a Petrobras realizou ainda contratação e mobilização de equipamentos de grande porte para atender a esses projetos. Estes investimentos geram retorno para a sociedade, através da geração de empregos, incentivo às atividades de outras empresas e consequente arrecadação de impostos.

Uma das instalações portuárias próprias da empresa, o Porto de Imbetiba dispõe de três píeres e seis berços e, atualmente, realiza em torno de 115 atracações por mês. No pós-pandemia, esse número deve chegar a 150 atracações/mês.

Projetos

A fim de atender aos projetos submarinos, o porto passa a utilizar três guindastes de grande porte – um com capacidade de movimentar 120 toneladas em um raio de 25 metros e dois que movimentam 30 toneladas em um raio de 35 metros. Todos estes guindastes possuem cabine elevada – o que garante mais segurança nas operações, especialmente, para os profissionais envolvidos.

José Alves, gerente de Operações Portuárias de Macaé, ressalta a relevância da atividade para a Petrobras. “A ancoragem, segmento da área submarina, é responsável pela instalação e manutenção de unidades de produção (p.ex.: UEP – Unidade Estacionária de Produção, FPSO – sigla em inglês para unidade flutuante de produção, armazenamento e transferência de petróleo), bem como ancoragem de sondas de perfuração utilizando e movimentando materiais e equipamentos com grandes dimensões e elevado peso.”

Para se ter ideia dessa relevância, ele cita dois projetos ligados ao pré-sal. “Tivemos a conclusão do posicionamento do FPSO Carioca em sua locação definitiva e que deve iniciar a produção no campo de Sépia nos próximos meses. Atualmente, estamos entrando na segunda fase da ancoragem do Teste de Longa Duração no campo de Mero. Essa atividade tem por objetivo realizar a instalação de oito linhas de ancoragem, que é responsável por manter a unidade de produção no ponto estabelecido.”

Outro investimento é a ampliação da retroárea de 16 para 24 mil m², o que representa um acréscimo de 50%. Comparativamente, com a futura extensão, caberiam estacionados 235 ônibus de transporte coletivo. Esse espaço suplementar à área de armazenagem pode ser utilizado, por exemplo, para desembaraço aduaneiro e para construção e montagem de materiais de grande porte que não podem ser transportados por meio rodoviário.

Otimização

Foto: Agência Petrobras

A expectativa do aumento do volume de até 150 atracações por mês no Porto de Imbetiba está ligada, em grande parte, à ampliação da janela de atracação, modelo em vigor desde abril desse ano. Passou a ser possível que as AHTS 21000 — embarcações de elevada potência que atuam como rebocador, manuseio de âncoras e transporte de suprimentos — façam atracações e desatracações sem necessidade de aguardar a maré alta.

Com esta mudança, o ganho obtido está na redução tempo de espera das embarcações, que, devido a alguma condição ambiental, por vezes, ficavam 12 horas paradas, aguardando uma nova oportunidade de atracação. Uma embarcação, mesmo parada, mantém custos de afretamento. Além disso, poderia gerar atrasos nas operações de instalação e manutenção de linhas de ancoragem. Em conjunto, esses fatores poderiam impactar algumas atividades de produção.

O processo de homologação do porto para atuação com embarcações do tipo AHTS 21000 com calados de oito metros (medida da parte submersa da embarcação) está sendo realizado em conjunto com a Marinha, que avaliou serem as condições dos canais favoráveis a uma flexibilização.

A fim de melhorar ainda mais essas condições, estão previstas a sinalização dos canais de acesso, bem como realizar, no ano de 2023, a dragagem de manutenção e aprofundamento dos canais e da área de manobra das embarcações (bacia de evolução) e píeres. Com estas ações ficam mais fáceis as manobras de entrada e saída de embarcações, além de aumentar a segurança operacional.

As atividades realizadas no Porto de Imbetiba são: atracação, desatracação, carregamento e descarregamento de embarcações, bem como seu abastecimento de água e diesel; atividades de troca de turma (tripulantes das embarcações), além de armazenamento, construção e montagem de materiais de grande porte.


https://www.revistaintermarket.com.br/petrobras-investe-24-milhoes-de-reais-no-porto-de-imbetiba/
Opinião dos leitores

Deixe aqui uma resposta