Investidores apresentam ao Governo de MS projeto do novo terminal de Porto Murtinho

18/10/2019 11:10 • Portos
Reunião com Representantes da Navios Logistics
Foto: EdemirRodrigues

A Navios Logísticas da América do Sul, com sede em Nova Palmira (Uruguai), apresentou ao Governo de Mato Grosso do Sul o projeto de construção do porto de grãos e líquidos em Porto Murtinho, que terá investimentos de R$ 120 milhões. Murtinho situa-se na margem esquerda do Rio Paraguai e na fronteira do Estado com o Paraguai (distante 445 km de Campo Grande).

Em audiência com o governador Reinaldo Azambuja e secretários, na tarde desta quarta-feira (16), a Navios Logística reafirmou a viabilidade do seu empreendimento, apostando na infraestrutura logística e no potencial do Estado como produtor de alimentos. Claudio Lopez, CEO do grupo, garantiu que o novo porto entra em operação em dezembro de 2020.

Durante o encontro, o governador anunciou o início da construção de uma obra vital para atender ao fluxo de caminhões e cargas ao porto: o contorno rodoviário, impedindo o tráfego pesado passando pelo centro da cidade. Acompanhando a comitiva, Michel Chain, empresário e operador da Hidrovia do Paraguai, destacou o compromisso do Estado em viabilizar o novo corredor de exportação.

“O governador foi sempre muito positivo em suas decisões para garantir que novo terminal portuário se tornasse realidade, identificando os gargalos e buscando soluções para atender os novos empreendimentos que se direcionam para Porto Murtinho”, disse ele, se referindo ao contorno rodoviário e às questões fitossanitárias, em discussão com o governo brasileiro.

Licenciamento ambiental

A liberação da licença definitiva de instalação do novo porto, a ser entregue pelo governador Reinaldo Azambuja no dia 25 deste mês, entusiasmou a toda a comitiva presente à audiência. Claudio Lopez, CEO da Navios Logísticas, saiu satisfeito do encontro:

“Estamos entusiasmados sobre o investimento deste porto. Achamos que a instalação de última geração introduzirá uma vantagem de custos na cadeia de logística, melhorando o potencial de produção de Mato Grosso do Sul”, disse.

Cláudio Lopez agradeceu ao governador Reinaldo Azambuja pela obra do contorno rodoviário e pelo rápido processo de licenciamento do empreendimento, destacando o empenho e a dedicação do secretário Jaime Verruck, titular da pasta de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar.

A apresentação do projeto do terminal de Porto Murtinho contou com a presença de representantes das principais indústrias de alimentos da China e Taiwan, que visitam o Estado a convite da Navios Logísticas para conhecer as potencialidades locais em infraestrutura e no agronegócio.

Murtinho, a melhor opção

Os futuros clientes asiáticos do terminal também apresentaram ao governador um perfil de suas indústrias representam o poder aquisitivo agregado de cinco milhões de toneladas de grãos/ano e estão interessados na exportação de soja e milho pelo novo corredor.

O representante de um dos grupos chineses, Dennis Lv, da Xiamen C&D Commodities, disse que ficou impressionado com o potencial do Estado e quer ampliar os acordos comerciais, destacando a pujança do Estado na produção de alimentos.

Segundo o governador Reinaldo Azambuja, Mato Grosso do Sul deve ampliar em 700 mil hectares sua área plantada de soja, com projeção de chegar a 5,54 milhões de hectares em cinco anos. Na última safra, o Estado colheu 10 milhões de toneladas de soja. Hoje essa produção é escoada pelos portos de Santos e Paranaguá.

Para o secretário Jaime Verruck, a apresentação do projeto do novo porto e as declarações dos representantes das indústrias alimentícias da China e de Taiwan, presentes à reunião, do interesse em ampliar os negócios com Mato Grosso do Sul, deixaram claro a dimensão da logística e o alto grau de competitividade da nova rota de exportação do Estado.

“Murtinho é a melhor opção, onde o produtor terá um ganho adicional de dez dólares por tonelada”, observou. Ele disse que a China é hoje o principal importador de soja e milho do Estado, comprando 42% da produção, cuja demanda em alta crescerá com o novo porto.

Estrutura de última geração

“Olhando o mercado, a redução de custo substancial com a nova logística e os novos investidores, não restam dúvidas de que teremos uma nova Paranaguá, que também impressiona importadores, como os asiáticos, pela posição estratégica de Porto Murtinho e as potencialidades do Estado como produtor de alimentos”, acrescentou.

A nova estrutura fluvial da Navios Logísticas, uma das maiores companhias de logística da América do Sul, operando hoje no Uruguai e Paraguai, terá capacidade para 800 mil toneladas de grãos e quatro tanques de 15 mil m³ para líquidos.

Devido ao moderno design e eficiente operação, os clientes também serão beneficiados significativamente pelas demoras reduzidas na carga e descarga de caminhões, comboios de barcaças e tempo de espera reduzido.

“Achamos que esta nova instalação será a maior fonte de novos negócios para a comunidade, num processo revolucionário para toda a região, e será construída e operada utilizando equipamentos e mão-de-obra brasileiros”, afirmou Cláudio Lopez.

A Navios Logísticas é um dos provedores de logística integrada na Hidrovia Paraguai-Paraná, com uma das maiores frotas de navios, tanques, barcaças e empurradores da via. Opera desde 1956 em Nova Palmira (Uruguai), com terminais de granéis sólidos e de minérios, e com terminal de combustível no Paraguai. Na última década, investiu mais de US$ 250 milhões em infraestrutura portuária.

Reunião com Representantes da Navios Logistics
Foto: Edemir Rodrigues