Domingo, 18 de abril de 2021
Águas turvas na indústria naval

Depois de anos de euforia, trazida pela chuva de encomendas e investimentos do setor de petróleo e gás, parte da indústria naval brasileira enfrenta agora águas turbulentas. No Rio de Janeiro, o estaleiro EISA, do grupo Synergy, em crise financeira, paralisou atividades, e o OSX está em recuperação judicial. No Rio Grande do Sul, o polo naval do Jacuí, em Charqueadas, vive outro drama. Sua principal empresa, a Iesa Óleo e Gás, passa por dificuldades de caixa, que agora deverão ser resolvidas com a aquisição do estaleiro pela Andrade Gutierrez.

Esta situação localizada contrasta com os números e as expectativas do setor naval, que permanecem gigantescos. Dados do Sindicato Nacional da Indústria da Construção e Reparação Naval e Offshore (Sinaval) mostram que há 390 encomendas na carteira dos estaleiros nacionais. Elas estão avaliadas em mais de R$ 110 bilhões, considerando que a maior parte do bolo – cerca de R$ 54 bilhões – se refere à produção de 29 sondas para a Sete Brasil, que vai arrendar 28 delas à Petrobras, e as plataformas para a estatal, avaliadas em R$ 53,4 bilhões. Não estão sendo contados os valores de navios e embarcações diversas.

Fonte:
https://www.revistaintermarket.com.br/aguas-turvas-na-industria-naval/