Rede Social do Café alcança 19 milhões de acessos de 164 países e 1100 municípios brasileiros

Nos últimos 15 anos, as redes sociais da internet tornaram-se ferramentas de expressiva importância nos relacionamentos de diferentes grupos sociais e, especificamente, no caso da agricultura, também contribuíram para o fortalecimento do setor cafeeiro. A Rede Social do Café foi criada em 28 de junho de 2006 no âmbito do Consórcio Pesquisa Café com o objetivo de promover o conhecimento coletivo, mediante a integração das instituições de pesquisa, ensino, extensão e demais agentes do setor agroindustrial do café. Para tanto, sistematicamente divulga análises, notícias, resultados de pesquisas, cotação do café, além de estimular debates visando obter subsídios para a formulação de políticas públicas que promovam a inovação e a sustentabilidade dos Cafés do Brasil.

A Rede, coordenada pelo Instituto Agronômico – IAC, foi idealizada no âmbito do Consórcio Pesquisa Café, como uma iniciativa pioneira no setor agropecuário nacional. Além disso, também funciona como um arquivo público “on-line” que armazena grande parte da história e, particularmente, da trajetória dos Cafés do Brasil na última década. Atualmente são mais de 42.840 tópicos contendo análises, notícias, cotação do café, comercialização, manejo de pragas e doenças, colheita e pós-colheita, mecanização, diferentes vídeos abordando esses e outros tópicos, além de diversos assuntos relevantes para o setor cafeeiro. A Rede Social do Café também pode ser acessada pelo Observatório do Café, do Consórcio Pesquisa Café coordenado pela Embrapa Café.

Assessoria