Porto do Pecém busca capital holandês e ser hub de contêineres

Com investimentos em infraestrutura que chegam a R$ 1,5 bilhão no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp), o Governo do Estado pretende transformar o Porto do Pecém em um hub regional de operação de contêineres. “Nós queremos transformar o Ceará no hub de descarregamento de contêiner do Nordeste, fazendo aqui toda a saída e entrada de contêiner da Região”, afirmou o governador Camilo Santana, mencionando parceria negociada com o maior hub do tipo da Europa, o Porto de Roterdã (Holanda), durante a solenidade de inauguração da Correia Transportadora e do Descarregador de Minério, voltados para atender à Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP). Os dois equipamentos somam um investimento de R$ 272 milhões.

“Esse é um dia histórico. É um momento para que a gente possa divulgar para o Brasil sobre o que está acontecendo aqui no Ceará”, disse Camilo. A solenidade teve ares de megaevento e, além do secretariado, contou com a presença de representantes da indústria dos segmentos financeiro, de ensino, do Fisco, executivos da CSP, e políticos.

Roterdã

A transformação prevista pelo governo para o Porto do Pecém passa tanto da operação da CSP como da parceria entre o porto cearense com o Porto de Roterdã, na Holanda. Desde setembro do ano passado, o porto holandês presta consultoria ao Porto do Pecém, visando, dentre outros objetivos, ao aproveitamento de oportunidades geradas pela ampliação do Canal do Panamá, que colocou o porto cearense na rota dos maiores cargueiros do mundo.

O governo do Ceará deverá divulgar no próximo mês o novo modelo de negócio para o Porto do Pecém, que faz parte do pacote de concessões de ativos do Estado. Entre as opções não está descartada uma parceria com os administradores do porto holandês. “Eles estão estudando todo o potencial desse complexo, da ZPE (Zona de Processamento de Exportação). Eles fizeram quase um ano de estudos de viabilidade, de potencial, de crescimento. E nós queremos firmar uma parceria para que Roterdã seja parceiro nos investimentos e no crescimento do Porto do Pecém. É uma grande marca, um grande nome que vai abrir as portas com Ceará para o mundo”, disse Camilo. “Com essa parceria, podemos ter novas empresas. Como de tancagem. Nossa ideia é transferir a tancagem do Mucuripe para o Pecém. Queremos, ainda neste ano, abrir uma concorrência pública para isso”, disse.

O governador se mostrou otimista com a possibilidade de fechar a parceria. “Eles estão investindo no mundo inteiro. E não tenho dúvida de que, ainda este ano, nós vamos firmar essa parceria com o Porto de Roterdã. Não tenho dúvida de que será uma grande contribuição, e um marco histórico para o Ceará”.

Segundo o secretário da Infraestrutura do Estado, André Facó, o modelo de parceria entre os dois portos ainda está em estudo, mas não está descartada a possibilidade do porto holandês vir a administrar o porto cearense. “Ainda estamos conversando. A gente ainda tem um trabalho a ser desenhado para depois ver qual será a melhor governança. O que está muito claro é que o Porto do Pecém, com a área industrial, é um ativo do Estado que permanece nas mãos do Estado. Mas a gente pode buscar parceiros que podem fazer determinados desenvolvimentos muito melhores do que o setor público e tornarem o porto um local atrativo, além de trazerem empreendimentos que enxerguem vantagens na gente”, detalhou Facó.

Ampliação

A implantação dos berços de atracação 7, 8 e 9 do Terminal do Múltiplo Uso (Tmut) vai permitir a movimentação das placas da siderúrgica. E a construção da segunda ponte de acesso fará a ligação entre o litoral, na região frontal ao Pátio de Cargas. Também está sendo construído o quebra-mar nordeste, que vai permitir o tráfego de caminhões especiais que utilizam o volume máximo de carga. As obras fazem parte da segunda expansão do TMUT e estão com cerca de 80% de conclusão, com previsão de entrega para junho de 2017.

Segundo o governador, com os dois guindastes adquiridos pela APM Terminals, que integrarão o maquinário de operações dos novos berços de atracação do Porto do Pecém, o empreendimento poderá triplicar o volume movimentado. “Daqui a alguns meses nós vamos inaugurar três novos berços, inclusive os dois terminais da APM, que é uma empresa especialista no mundo inteiro de carga e descarga de contêiner”, disse.

Operação e embarque

Durante a solenidade realizada ontem no Porto do Pecém, o governador acompanhou o embarque das primeiras placas de aço produzidas no Ceará e acionou o início da operação da Esteira Transportadora de Minério. O evento, que começou com mais de duas horas de atraso, contou com falas de Camilo, André Facó, do CEO da CSP, Sérgio Leite, do diretor presidente da Ceará Portos, administradora do Porto do Pecém, Danilo Serpa, do presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará , Beto Studart, e do presidente da AL, Zezinho Albuquerque.

Nos discursos, Camilo, Serpa e Albuquerque fizeram questão de citar as participações dos ex-governadores Tasso Jereissati, Ciro Gomes e Cid Gomes no desenvolvimento do Porto do Pecém. “De forma muito especial, eu queria cumprimentar e pedir uma salva de palmas a todos os ex-governadores que iniciaram esse momento: o governador Tasso Jereissati, o governador Ciro Gomes, e o governador Cid que iniciou essa grande ampliação do Complexo Portuário do Pecém e a garantia da CSP para o Ceará”, disse Camilo Santana.

OPINIÃO

Cenário do Ceará diferente do nacional

Beto Studart

Presidente da Fiec

Hoje vivemos um momento único, onde empresários, autoridades, pesquisadores, estudiosos, associações de classe e governantes estão juntos em um mesmo propósito, que é construir um Ceará com renda, fomentando riquezas e retomando o crescimento. Fico impressionado como um equipamento do porte da CSP e o próprio Porto do Pecém conseguem criar uma situação favorável para os negócios no Estado, superando o momento bastante difícil da economia nacional.

A siderúrgica é um sonho antigo do povo cearense, que vem desde a época de Virgílio Távora, onde se começou a falar em um equipamento como este, que hoje podemos ver em atividade, materializando aquilo que sempre almejamos.

Assim, quero deixar meu reconhecimento aos governadores Virgílio Távora, que idealizou tudo isso; Tasso Jereissati, que iniciou toda a infraestrutura do Porto do Pecém; Ciro Gomes, que teve o ímpeto de trabalhar em cima daquilo que o Ceará necessitava; Cid Gomes, que acolheu este gigantesco empreendimento chamado CSP; e Camilo Santana, que negocia o futuro do nosso Estado atualmente, superando as dificuldades do momento e usando suas “mãos de Midas” para transformar esta nossa terra abençoada em riqueza para seu povo.

Agradeço aos forasteiros do bem que apostaram no Ceará e espero que possamos construir uma parceria longa e próspera.

Infraestrutura
Equipamentos conferidos pelo governador

Correia Transportadora
– Capacidade nominal de transporte de 2,4 milhões de toneladas/hora – 8,6 mil km de extensão
– Investimento de 212 milhões

Descarregamento de minério
– Capacidade nominal de descarregar 2,4 mil toneladas/hora
– Pesa cerca de 2 mil toneladas
– tem 40 metros de altura
– Valor estimado do equipamento de R$60 milhões
Carregadores de placas
– 4 carregadores
– Equipamento nacional produzido em Guarulhos (SP)
– Valor estimado do equipamento de R$117,9 milhões

Rodovia das Placas
– A rodovia das placas sairá da siderúrgica até o Porto do Pecém
– O trajeto equivale a 8km
– Para a obra haverá uma duplicação da CE-155

Berço,Ponte e Quebra-mar
– Fazem parte da segunda expansão do TMUT
– Obra está com 80% de conclusão
– A entrega é prevista para junho de 2017

Diário do Nordeste,CE