Empresas do setor de usinagem apostam na automação IEMCA para retomar o crescimento

A IEMCA, uma das marcas da BUCCI Industries que é líder global em automação de processos industriais, registrou um aumento no volume de vendas em suas operações no Brasil no primeiro semestre de 2017 – em relação ao mesmo período do ano passado. A companhia tem crescido na contramão da recessão econômica do país, oferecendo soluções de automação com avançada tecnologia italiana às empresas do setor de usinagem.

“A IEMCA possui uma imagem consolidada no mercado brasileiro, baseada em sua ampla experiência em automação em diversas indústrias ao redor do mundo. Temos realizado um forte trabalho de pós-venda localmente, construindo sólidas relações com as empresas que utilizam a nossa linha de alimentadores automáticos de barras por todo o país. De janeiro a julho deste ano, o mercado demonstrou sinais de otimismo mesmo que lentamente e, isto, repercutiu a favor dos nossos resultados de vendas”, disse Luis Gustavo Janjacomo, responsável por aplicações e vendas na IEMCA no Brasil.

Janjacomo destacou que a IEMCA ampliou o número de parcerias nos últimos anos, como parte da estratégia de expandir seus canais para a comercialização de produtos no país. “Além da nossa equipe comercial nos apoiando nessa jornada, atualmente, mais de 10 parceiros de negócios (fabricantes e revendedores de tornos) recomendam a nossa marca em todo o território nacional por reconhecerem o grande suporte prestado por nossa equipe técnica local”, enfatizou. Ainda de acordo com Janjacomo, a demanda por alimentadores automáticos de barras tem crescido na América Latina. “Neste primeiro semestre fechamos bons negócios no mercado latino americano, onde atuamos através de nossa filial brasileira. Argentina e Chile, por exemplo, estão entre os países onde recentemente vendemos equipamentos da IEMCA. Seguimos firmes, com a meta de ampliar a presença em toda essa região”, completou.

O Brasil é um dos mercados-chave para a IEMCA. A aposta em um mercado tão promissor e em pleno desenvolvimento estão entre as razões que levaram a multinacional italiana a se estabelecer no país. “Em tempos de crise muitas empresas reduzem custos, impactando o quadro de funcionários como saída para sobreviver no mercado. Num momento de retomada, optam por processos mais enxutos e eficientes. Por isso, escolhem soluções de automação para ganhar agilidade, qualidade e precisão na produção e, assim, tornarem-se mais competitivas e aptas para produzir com a rapidez que o setor exige”, enfatizou Gustavo.

A tecnologia empodera as empresas, de acordo com o executivo. Para ele, as empresas que apostam na automação têm mais flexibilidade para planejar as operações de manufatura no mesmo ritmo das demandas dos clientes. Assim, num momento de retomada de crescimento, as fábricas automatizadas têm mais vantagens competitivas por já contar com uma infraestrutura pronta para trabalhar, bastando apenas ser acionada, sem exigir realocações de recursos humanos ou tempo na reconstrução e capacitação de equipes.

Para a IEMCA, até o final de 2017, o mercado brasileiro se manterá aquecido e demandará necessidades de automação rumo à modernização das plantas fabris. Mesmo em meio à baixa produção de alguns setores, Janjacomo reforçou que esta é uma boa hora para cuidar da manutenção dos equipamentos, com mais atenção. E, com isso, crescem os serviços para a área de pós-venda.

No Brasil, a IEMCA possui filial em Vinhedo (interior de São Paulo) onde oferece estrutura de vendas e pós-vendas consolidada, com engenheiros e técnicos capacitados para atender empresas em todo o território nacional. Há mais de duas décadas a IEMCA atua no país, acumulando mais de 2 mil máquinas de automação instaladas em empresas de diversos segmentos do mercado como o automotivo; agrícola, linha branca, medical (instrumentação cirúrgica, próteses e implantes dentários), entre outros.

“A europa também viveu uma forte crise econômica em meados de 2008, o que fez com que a IEMCA buscasse novas alternativas para ser mais competitiva e desenvolver tecnologias avançadas para a época, quando as empresas europeias já miravam na indústria 4.0. De lá para cá, nos especializamos nessa área e criamos alimentadores automáticos de barras que podem ser conectados à internet, permitindo um absoluto controle de todas as operações remotamente – desde 2013, estamos trabalhando nessa tendência tecnológica. A IEMCA está pronta para atender às empresas que desejam modernizar suas plantas industriais, hoje”, apontou Giampaolo Morandi, diretor geral da IEMCA na Itália.

Atualmente, a IEMCA possui mais de quinze modelos de alimentadores automáticos de barras, que suportam todos os tipos de tornos: cabeçote fixo, móvel e multifuso. Projetados com avançada tecnologia italiana, os equipamentos da IEMCA permitem a alimentação automática de barras entre 0,8 mm até 100 mm de diâmetro e garantem alta produtividade e precisão na produção.

O Grupo BUCCI possui presença em mais de 40 países e, no último ano, registrou faturamento global de mais de € 170 milhões. Para mais informações sobre a IEMCA, acesse: www.iemca.com/br/br/

Assessoria