Câmara de Dubai estreita relação com a América Latina e inaugura primeiro escritório da Região no Brasil

 
 A Câmara de Comércio e Indústria de Dubai anunciou na segunda-feira (17 de abril) a abertura de seu primeiro escritório de representação na América Latina, que estará localizado em São Paulo e servirá a região da América Latina. O anúncio aconteceu durante uma reunião entre o vice-governador do estado de São Paulo, Marcio França, funcionários da Câmara de Dubai e uma delegação de empresários líderes dos Emirados Árabes Unidos.

De acordo com Hamad Buamim, presidente e diretor executivo da Câmara de Dubai, a decisão de abrir o primeiro escritório da Câmara na América Latina no Brasil foi uma decisão estratégica para a organização, pois ajudará a construir pontes entre as comunidades de negócios de ambos os países.

“Este é um momento muito importante para nós, porque será nosso primeiro escritório na América Latina e servirá a toda a região. Vemos isso como um grande desenvolvimento no reforço da cooperação econômica, como demonstra nosso forte compromisso de melhorar as relações comerciais entre Dubai e mercados promissores dentro da América Latina. Esperamos que esta visita fortaleça ainda mais as relações Brasil-Dubai e abra portas para novas parcerias e possibilidades”, disse o executivo.

Buamim acrescentou que o Brasil continua a ser o principal parceiro comercial do emirado na América Latina, representando cerca de 34,5% do comércio não-petrolífero de Dubai com a região em 2016.

No encontro, França ressaltou que foi um prazer receber os líderes empresariais em São Paulo e salientou as qualidades do Estado. “Somos um país dentro de outro e possuímos importantes parcerias com os árabes. A começar pelas colônias que aqui se instalaram para progredir. Na área da ciência e tecnologia, o interior paulista conta com diversos parques tecnológicos e investimos mais de 15% do orçamento em pesquisa e desenvolvimento. Também contamos com a Investe SP e Desenvolve SP, juntas, as agências oferecem apoio para a implantação de negócios”, disse.

“Espero que esse encontro renda  bons frutos. Poderíamos ampliar as nossas relações com Dubai em diversos mercados, entre eles, o de gás. São Paulo tem uma origem de empreender. Faz parte da formação do povo. Temos muitos políticos e líderes de descendência árabe. Eles são simpáticos e criam empatia com a população”, compretou o vice-governador.

A visita da delegação dos Emirados Árabes Unidos faz parte de uma missão comercial de alto nível para a América Latina liderada pela Câmara de Dubai, que abrange o Brasil, Paraguai e Argentina e se encerra em 22 de abril. A missão visa explorar novas oportunidades de negócios nos três países e promover Dubai como um polo de comércio e investimento na região.

Esta semana, funcionários da Câmara e delegados reuniram-se com Joao Doria Jr., Prefeito da Cidade de São Paulo, Sr. Julio Serson, Secretário Municipal de Assuntos Internacionais – e Sr. Wilson Poit – Secretário Municipal de Privatizações e Parcerias. A Câmara também realizou um evento em São Paulo, em parceria com a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP) e a APEX Brasil, com o objetivo de estabelecer um diálogo construtivo com a comunidade empresarial da cidade.

Durante a missão comercial, a Câmara de Dubai também promoverá o Fórum Global de Negócios na América Latina, que foi lançado em 2016. O fórum visa explorar novas oportunidades de investimento em mercados promissores na região e busca aumentar a cooperação entre Dubai e os países da Região.

 Descubra os principais setores que devem gerar oportunidades de negócios entre os Emirados Árabes Unidos e o Brasil

O Brasil teve resultados positivos em uma série de setores de mercado que despertaram o interesse dos investidores dos EAU, conheça os principais segmentos:

Logística

Em junho de 2015, o Brasil apresentou um novo programa de concessões de infraestrutura, que pretende atrair US $ 64 bilhões em investimentos nos próximos cinco anos para atualizar e operar estradas, ferrovias, portos e aeroportos em 20 estados do Brasil.

Energia Renovável

Em 2015, o setor de energia renovável do país foi o maior receptor de investimentos na América Latina e entre os 10 melhores do mundo (7ª posição) com valor de mais de R$21 bilhões. Embora esse valor esteja em torno de 10% abaixo dos investimentos do ano passado; um recorde de mais de R$15 bilhões foi para o financiamento de ativos eólicos, enquanto os financiamentos de projetos solares chegaram a US $ 657 milhões, um recorde também, que, potencialmente marca o início de um grande novo mercado para células solares.

Turismo

A capacidade atual dos hotéis no Brasil situa-se em 94.000 quartos e espera-se um aumento substancial de 74,5%, para chegar a 164 mil quartos, em 2020. O país atraiu 6,4 milhões de turistas estrangeiros em 2014 e o Ministério do Turismo afirmou que cerca de US $ 4 bilhões de investimentos no setor seria necessário nos próximos anos para acompanhar o crescimento das chegadas de turistas.

Agronegócio

As exportações do agronegócio brasileiro para o mundo alcançaram mais de R$240 bilhões em 2015 e o país pretende expandir sua participação no comércio agrícola mundial de 7% para 10%. Fatores fundamentais continuam a ser muito atrativos para a indústria de agronegócio local, especialmente com a recente queda do Real, diminuindo os custos de produção. Ao longo dos esforços governamentais, o Instituto Brasileiro de Pesquisa Agrícola abriu recentemente um novo departamento de P & D dedicado aos “alimentos funcionais”, que ajudam a melhorar a saúde e prevenir doenças como iogurtes, bebidas probióticas, bebidas esportivas, pão integral e água de coco.

Manufatura

A indústria automotiva brasileira atraiu 8% das entradas de IED em 2015, enquanto a indústria química atraiu outros 4%. Vale ressaltar também que o Brasil está se promovendo cada vez mais na fabricação de têxteis, aeronáutica, produtos farmacêuticos e metais.

América Latina em números de Mercado:

• O comércio não-petrolífero de Dubai com os mercados latino-americanos cresceu 27% no período 2010-2016, passando de AED 13,5 bilhões (US $ 3,7 bilhões) em 2010, para AED 17,4 bilhões (US $ 4,7 bilhões) em 2016.

• Existem 183 empresas latino-americanas registradas na Câmara de Dubai e operando no emirado.

• O Brasil constitui 29% do total de empresas latino-americanas que operam em Dubai com 54 empresas.

Brasil ocupa o 40º lugar nos parceiros da lista de negociação de Dubai e é o 1º mercado comercial do Dubai entre os mercados latino-americanos.

O comércio não-petrolífero de Dubai com os mercados latino-americanos cresceu 27% no período 2010-2016, passando de AED 13,5 bilhões em 2010 para AED 17,4 bilhões em 2016.

Fundada em 1965, a Câmara de Comércio e Indústria de Dubai é uma entidade pública sem fins lucrativos, cuja missão é representar, apoiar e proteger os interesses da comunidade empresarial em Dubai, criando um ambiente de negócios favorável, apoiando o desenvolvimento de negócios e Promovendo Dubai como um centro de negócios internacional.

Assessoria